AUDIOVISUAL: OFICINA DE IMERSÃO CINEMATOGRÁFICA ESTIMULOU OLHARES SOBRE O COTIDIANO DA COMUNIDADE

Reportagem de Marcelo Passos/Comunicação Somos Comunidade

Frame do video desenvolvido por Izabela Batista de Oliveira durante a oficina

Israel de Oliveira e Isabela Ferreira, ambos profissionais do audiovisual, se encontraram pela primeira vez na edição 2021 do Projeto Somos Comunidade. A dupla se formou a partir da indicação de amigos comuns envolvidos na produção dos eventos do projeto. Israel trouxe a experiência de mais de 10 anos em emissoras de TV e produtoras de vídeo. Isabela, nascida e criada no Morro das Pedras, também atua no mercado audiovisual desde 2013 e, por seu conhecimento da comunidade, deu uma importante contribuição para as definições dos parâmetros de abordagem da oficina.


O objetivo da dupla oficineira era aprofundar os conhecimentos práticos dos participantes e contribuir para desenvolver futuramente, dentro do Morro das Pedras, um núcleo de produção audiovisual capaz de responder às demandas da comunidade.


Doze alunos se inscreveram para as videoaulas ministradas semanalmente via WhatsApp. Pela plataforma, entre os meses de maio e junho, eram passados os links de conteúdo, trocas de mensagens e os arquivos com o material produzido. Os participantes tiveram aulas sobre a história do cinema e do audiovisual, captação de imagens, linguagem fotográfica e suas aplicações para o celular, a montagem e edição de imagens.


O documentário inicialmente previsto como produto final deu lugar à captação de imagens brutas sobre vários temas: cotidiano dos moradores do Morro das Pedras, personagens, sentimentos diante da pandemia e pontos de vista do amanhecer na comunidade. Cerca de 10 minutos de material em vídeo foram cedidos à produção do documentário final da edição 2021 do Projeto Somos Comunidade.


Para Isabela Ferreira, a oficina foi muito positiva por ampliar a visão de pessoas que se interessam pela atividade e que no futuro poderão até se engajar profissionalmente com o audiovisual. Ela cita o exemplo de um rapper da comunidade que produz seus próprios vídeos e que agora poderá ter melhores condições de aperfeiçoar suas produções. A possibilidade da troca de experiências e interação com mais pessoas foi para Isabela o ponto mais importante do processo de trabalho. Através do Projeto Somos Comunidade, ela percebeu a oportunidade de devolver em benefícios à comunidade todo o apoio que recebeu ao longo da vida até chegar à sua atual atividade profissional no mercado do audiovisual.


Aprendizado impulsiona visibilidade da comunidade


Isabela destaca entre os fatores positivos do Projeto a geração de renda: “Ao estimular a profissionalização das pessoas, o Somos Comunidade mostra que é importante promover a visibilidade não só de quem participa, mas, de todo o aglomerado. Assim, torna a inclusão social um de seus principais valores, ativando a geração de renda na própria comunidade, o que é um de seus maiores benefícios”.

A moradora do Morro das Pedras Raquel Fernandes Romualdo, 34 anos, divorciada e mãe de quatro filhos, adorou a oficina. “Acho que ela me abriu novos horizontes, trouxe novos conhecimentos e permitiu principalmente eu entender que é possível estar próximo da atividade audiovisual, que parecia, antes, uma coisa muito distante, que existia só no cinema ou na televisão. A oficina aproximou a gente de coisas que eu nunca podia imaginar que poderiam fazer parte das nossas vidas”.

Apesar dos afazeres profissionais e domésticos, Raquel acompanhou integralmente as aulas e atividades da oficina. Produziu com o celular dois vídeos curtos sobre o seu cotidiano na pandemia: as dificuldades e alternativas do isolamento social. A artesã já fazia uma outra oficina de fotografia e quando soube da oferta do Projeto Somos Comunidade, decidiu conhecer o conteúdo do audiovisual.

Para Israel de Oliveira, a oficina mostrou as possibilidades de potência criativa para as pessoas que, mesmo estando em isolamento social, podem contar uma narrativa própria daquilo que estejam vivendo. Segundo Israel, a Oficina tornou-se um ponto de encontro importante para as pessoas interessadas em debater e aprender um pouco mais sobre a produção audiovisual. Além disso, ela contribui para criar oportunidades de acesso, o despertar para uma possível profissionalização. Israel enfatiza: “Conheci o projeto Somos Comunidade este ano. Pude ver o tremendo impacto que ele causa para quem participa diretamente das atividades. E isso, com o tempo, gera novas conexões, replicando para dentro do Morro das Pedras todo o legado que o projeto é capaz de promover”.

11 visualizações